NÃO é necessário aval de sindicatos para redução de salário e/ou jornada

A ação foi ajuizada pelo partido Rede Sustentabilidade contra dispositivos da MP 936/20, que institui o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda e introduz medidas trabalhistas complementares para enfrentar o estado de calamidade pública decorrente da pandemia do novo coronavírus. Entre elas está a possibilidade de redução salarial e a suspensão de contratos de trabalho mediante acordo individual.

Em 6 de abril, o relator Lewandowski, deferiu em parte a cautelar solicitada, para determinar que os acordos individuais somente serão válidos com a anuência dos sindicatos de trabalhadores. O acordo é mantido se, em 10 dias, a partir da notificação, não houver manifestação sindical.

O ministro Alexandre de Moraes abriu a divergência para não referendar a liminar e, por conseguinte, entender que os acordos individuais são válidos sem o aval dos sindicatos.

Acompanharam o seu voto outros seis ministros, dentre eles o Presidente da casa.

Finalizando a votação por sete a três, ficou estabelecido então os critérios da MP, que dispensa a necessidade do sindicato.

A maior parte dos votos fundamentou a cassação da cautelar na situação absolutamente extraordinária que vivemos, além da impossibilidade estrutural dos sindicatos em atender a demanda.

Igualmente foi fundamentado pelos ministros que a intenção da medida provisória é a manutenção dos empregos, pois, segundo esse ponto de vista, o empregador que não conseguir rapidamente o aval do sindicato, acabaria por preferir a imediata dispensa do empregado.

Quer saber mais sobre soluções jurídicas e empreedoras?

Deixe seu contato que lhe responderemos, enviando novidades, notícias e dicas para você se manter informado.

Sede:

Estruturas de apoio:

em Santos

Av. Senador Pinheiro Machado, n. 30, CJ. 183 – Vila Mathias, Santos – SP

em São Paulo

Avenida Paulista, n 807,  CJ 2315, Jardins, São Paulo – SP

em Curitiba

Avenida Cândido de Abreu, 381, Centro Cívico, Curitiba – PR 

Copyright 2020 – Ialongo Sociedade de Advocacia